Dez histórias reais mais ou menos conhecidas que chegaram aos óscares

“Baseado em factos verídicos”: esta é a referência que ilumina qualquer sequência de créditos de um filme, ou pelo menos é nisso que Hollywood acredita (e depois de vermos os nomeados para os óscares deste ano, nós também). São várias as histórias reais que davam um filme que Hollywood agarrou e a Academia nomeou, mostrando mais uma vez que a arte tem razões para continuar a imitar-reinventar-interpretar a vida. Fomos ver dez histórias reais que chegaram aos óscares deste ano (algumas delas levaram mesmo a estatueta) – e falámos mesmo com alguns dos intervenientes. Há lições de vida, relatos de coragem e inteligências visionárias (e lucrativas)

Texto Expresso Web Design Maria Romero

“O Renascido”: um romance trágico e uma vingança cruel que apimentam a coisa

“Trumbo”: a democracia é o tipo de vida que um homem decente leva

“A Rapariga Dinamarquesa”: a impressionante Lili, tão esquecida pela História

“O Caso Spotlight”: abalar a fé na igreja, fortalecer a fé no jornalismo

“A Queda de Wall Street”: continuamos indignados e sem perceber nada do que se passou

“45 anos”: a ficção não tem de ser justa

“Carol”: a história de amor com que ela fantasiou

“Ponte de Espiões”: o meu pai diz que o teu pai defende comunistas

“Joy”: o mistério à volta da mulher que enriqueceu por causa de uma esfregona

“Steve Jobs”: uma das mulheres da vida dele (mas nunca a “esposa no trabalho”)