No início era apenas água. Depois chegaram os primeiros homens e mulheres e espetaram estacas de madeira que foram conquistando terreno ao mar. Hoje em dia é um dos maiores complexos de favelas do Rio de Janeiro. O Expresso entrou na Maré e faz um retrato de uma comunidade marcada pela pobreza, o tráfico de droga e troca de tiros, mas onde também há pequenas bailarinas e gente que acredita num futuro. Há apenas um caminho: prosseguir resistindo. “Aqui, onde muitos só enxergam a violência, nasce uma nova maneira de contar os tempos da cidade”

texto Angélica Prieto vídeo e fotografias Célia Lamarão grafismo João Roberto edição multimédia João Santos Duarte web design Maria Romero
Esta reportagem só foi possível graças ao programa Beyond Your World